Travessia da Vida
(17/09/2019)
Esperei por ti senhor.
Nada vi…
Premido pela urgência em vigor,
Decidi seguir.
Tendo a alma cansada,
Sem asas para atravessar o mar,
Pus-me a construir minha jangada.
Na praia aprendi a comungar.
Acolhido em colônia de pescadores,
Passei a sorrir.
Mesmo com mãos em chagas,
Esqueci de ti.
Sempre havia pelo que florir,
Tarrafas para puxar,
Roupas para cerzir,
Jangadas para reparar…
Aprendi oficios da vida.
De ti prescindi…
Aprendi a ver uma vida colorida.
Preferi como pescador seguir…
Desisti de atravessar o mar!
Entre irmãos cicatrizei minhas feridas.
Aprendi o ofício do amar.
segui concertando jangadas.
Hoje em ti voltei a pensar!
Feridas cicatrizadas,
Sem motivos para atravessar o mar,
Sou alma a ti agradecida…
Sem de ti me aproximar,
Sinto tua mão a me guiar.
Na tempestade da vida quis duvidar;
Hoje sei que é só em ti pensar…
Aprendi a natureza do teu amar!
Ensinas a enfrentar tempestades,
Costurar amizades,
Feridas cicatrizar…
(poesia Guilherme Fraenkel)