O Livro dos Espíritos

 

Jesus com sua mensagem e vivência de amor a Deus, ao próximo e a nós mesmos, deixou sua marca indelével para a humanidade.

Exemplificou a mais pura e profunda caridade, aconselhando-nos benevolência para com todos, indulgência para com as imperfeições dos outros, enfim, ensinou-nos que estamos aqui, para aprender a amar.

O tempo passa, a humanidade avança. A ciência, a religião, a filosofia, as artes, ampliam seus conhecimentos, revisam seus conceitos, desenvolvem sentimentos. Embora as luzes da cultura se expandissem em todos os seguimentos, permaneceram muitas sombras e novos dogmas foram estabelecidos. Devido as incontáveis descobertas no campo científico e tecnológico, o materialismo (uma chaga no sentimento da criatura) se instalou principalmente nas academias, entre os grandes pensadores, colocando a razão acima de tudo e de todos. Apesar desse ambiente hostil, a tudo que se dizia respeito a espiritualidade, o homem se mostra em condições de receber novos esclarecimentos,  o Consolador Prometido por Jesus.

E esse Consolador chega na forma de um livro – O Livro dos Espíritos, em 18 de abril de 1857, em Paris, codificado por Allan Kardec, como luz na imensa escuridão.

Dotado de lógica e ética, conhecimentos e informações que vieram dos Espíritos Imortais, nobres representantes desencarnados do pensamento filosófico e cientifico de todos os tempos, tendo à frente o Espirito de Verdade, através de um corpo mediúnico seleto, o Livro dos Espíritos propiciou o conhecimento de novas propostas, que vieram esclarecer dúvidas e perguntas inquietadoras, com uma argumentação sempre fundamentada nas conquistas da ciência da época e com clareza para encarar as futuras descobertas, dessa mesma ciência, de forma sempre atual e renovadora.

O Livro dos Espíritos é considerado a obra fundamental do Espiritismo, com seu conteúdo e características únicas, revelando a natureza espiritual do homem, a sua realidade interexistencial e o processo de sua evolução.

A 1ª edição de O Livro dos Espíritos, foi lançada com 501 questões. Três anos depois, em março de 1860, Allan Kardec publica a 2ª edição, consideravelmente aumentada, com 1019 questões, além de notas, abrangendo questões científicas, filosóficas e religiosas, no processo dinâmico do diálogo, lembrando a maiêutica socrática.

A obra apresenta-se em quatro partes: “Causas Primeiras”, “Mundo Espiritual ou dos Espíritos”, “Leis Morais”,”Esperanças e Consolações”.

Organizado de forma didática, O Livro dos Espíritos, na verdade, é ”um guia de aperfeiçoamento humano”, segundo Zalmino Zimmerman.

A partir da 1ª questão, Que é Deus?, Analisa o problema da Criação, situa o homem no Universo mostrando sua natureza espiritual, que é imortal. Investiga o mundo espiritual e revela a reencarnação. Também estuda a interação entre o mundo físico e o espiritual. Examina a atuação da Lei de Causa e Efeito em nossas vidas, e nos apresenta Jesus como o modelo de perfeição humana, mostrando que ser bom, muito mais que simples dever, corresponde a uma verdadeira necessidade evolutiva.

O Livro dos Espíritos é um manual de Educação Integral, que nos foi oferecido como o Consolador Prometido, para ampliarmos nossos horizontes, em direção a um sistema de convivência mais lúcida, marcada por um maior desenvolvimento de nossas potencialidades espirituais, sem tanta dor e com mais fraternidade.

Com O Livro dos Espíritos o sobrenatural inexiste. O sobrenatural é apenas o natural, ainda não explicado. As leis morais ou físicas são todas leis de Deus e tudo se encadeia na Criação.

Graças ao processo de evolução da reencarnação, explica as razões do sofrimento, dos destinos, das aspirações e das ocorrências felizes ou infelizes que assinalam as diversas existências.

Desfez o mito a respeito dos divinos castigos e das eternas punições, ideias distantes da justiça e do amor incondicional do Pai.

Conforme o espirito Vianna de Carvalho, “nos dias atuais, quando o conhecimento atingiu patamares jamais supostos de existir, facultando as comunicações virtuais, as cirurgias com transplantes de órgãos, a implantação de células-tronco trabalhando pelo milagre da vida, as técnicas de regressão a existências passadas, a convivência com as micropartículas e com a biologia molecular, com o genoma humano decodificado, penetrando-se na intimidade do DNA e nas suas estruturas, O Livro dos Espíritos permanece atual, oferecendo informações de alto significado aos seus pesquisadores.” Encarando mais de um século e meio de evolução cultural, filosófica, científica e tecnológica, esta obra continua sendo a mais completa síntese de informações contemporâneas que se tem notícia.

Não é sem razão, que o trabalho de Kardec atrai, hoje, o interesse e o respeito de pensadores de todo mundo. Pela iluminação a milhões de vida, libertando do suicídio, da loucura, das aflições, tornando-as felizes, sem dúvida, O Livro dos Espíritos simboliza o inicio da Nova Era do Espírito imortal.

 

Elenice Maia Mascarenhas