À ela, o símbolo celeste de mãe,o mundo deu o nome de Maria, aquela que nos mostrou o significado do amor incondicional, aquela que é capaz de amar acima de qualquer defeito humano, que na visão materna, com um olhar condescendente, nos acolhe acima dos nossos equívocos.

Assim também, dentro do seu próprio nível de evolução, são as mulheres encarnadas que recebem a grandiosa tarefa de ser mãe. Papel que será exercido por toda uma existência, ajudando-as também a evoluir, porque não há função melhor do que essa para deixarem o egoísmo de lado, porque muitas abdicam de suas próprias vontades, em função daquele que foi colocado sob sua responsabilidade.

Mario Quintana sabiamente escreveu que Mãe, são três letras apenas, as desse nome bendito: também o céu tem três letras…e nelas cabe o infinito. Para louvar nossa mãe, todo o bem que se disse, nunca há de ser tão grande, como o bem que ela nos quer…palavra tão pequinina, bem sabe os lábios meus, que és do tamanho do céu, e apenas menor que Deus.

Aline Queiroz